Fachada Supremo Tribunal Federal
Foto: Dorivan Marinho.
Fachada do Supremo Tribunal Federal
Foto: Dorivan Marinho
Fachada do STF
Foto: Carlos Humberto.
Fachada do Supremo Tribunal Federal
Foto: Fellipe Sampaio.
Fachada do Supremo Tribunal Federal
Foto: Fellipe Sampaio.
Fachada do STF
Foto:Nelson Jr.
Fachada do Supremo Tribunal Federal
Foto: Fellipe Sampaio.
Fachada Supremo Tribunal Federal
Foto: Dorivan Marinho.
Fachada do Supremo Tribunal Federal
Foto: Dorivan Marinho.
Fachada do STF
Foto:Carlos Humberto.
Fachada Supremo Tribunal Federal
Foto: Dorivan Marinho.
Democracia ?

Bom dia! Hoje vou usar este espaço para falar de algo que está me incomodando muito, na condição de cidadão, de pai de família e, principalmente, de BRASILEIRO! Todos têm observado que me valho do face apenas para falar e divulgar coisas boas. Posto fotos da minha família, que amo incondicionalmente, do meu hobby, que são as minhas motos, das minhas andanças e aventuras por este Brasil, das confraternizações com meus amigos, enfim, de tudo de bom que Deus tem me proporcionado depois de mais de duas décadas de trabalho dedicado à advocacia, à resolução de conflitos! Vivi entre conflitos, constantemente, em razão do meu sacerdócio! Sim, a advocacia, quando exercida com seriedade e dedicação é, sim, um maravilhoso sacerdócio! Mas também não foi pra falar de advocacia que hoje resolvi escrever um pouquinho aqui em minha página! Foi pra falar, brevemente (sob pena de soar muito chato), de EDUCAÇÃO MORAL E CÍVICA, de OSPB, de DEMOCRACIA e, principalmente, de RESPEITO! Todas essas expressões, tenho percebido nos últimos dias, acabaram esquecidas em algum lugar do passado! Escondidas sob a poeira da “evolução” de nossa sociedade! Nasci na década de 60 e fui criado em um Brasil administrado por militares. Em casa aprendi a pedir “a benção” aos meus pais e aos mais velhos da família. Ali aprendi noções básicas, comezinhas mesmo de respeito aos demais. Ali aprendi que meu direito se encerra onde começa o do meu semelhante! Na escola, no “Grupo Escolar”, aprendi a conviver em sociedade.

Aprendi noções de moral, aprendi CIVISMO! Algum leitor não vai saber o que é isso. Mas basta lembrar que, antes de ingressar na sala de aula, nós nos perfilávamos, com a mão direita ao peito, e cantávamos altaneiramente o HINO NACIONAL! Usávamos fitas verde-amarelas sobre o bolso (bordado à mão) de nossas camisas. As antenas dos veículos, na “Semana da Pátria”, ostentavam aquelas fitas verde-amarelas que nos remetiam ao mais puro civismo, ao mais prazeroso senso de brasilidade! Fazíamos fila para entrar em sala de aula, esperávamos na fila para servir a merenda, esperávamos “bater o sinal” para sair ou retornar aos nossos afazeres estudantis e eram raras as vezes em que víamos essas regrinhas simples serem transgredidas! A mínima transgressão era punida no ato, pela professora ou pelo diretor, na escola, e pelos pais, em casa. Simples assim. Enquanto isso, o Brasil crescia! As grandes rodovias e obras de infraestrutura eram construídas a olhos vistos! Os generais, que administravam nosso país, atuavam com mão firme, com seriedade, com pulso mesmo! Baderna? Não, não me lembro de ter ouvido essa expressão! “Black bloc”?! O que é isso?! Ativistas?! ONG´s de direitos humanos?! Não, essas palavras me eram absolutamente estranhas, como estranha era qualquer rebeldia de um filho para com seus pais ou sua escola, seus primeiros centros de formação moral e cívica! Hoje presencio, estarrecido, o completo desconhecimento dos termos respeito, moral, civismo, organização social e política...Isso me preocupa muitíssimo! Tenho cinco filhos, da mais tenra idade à juventude e me quedo boquiaberto ante estas cenas de horror que eles são obrigados a presenciar nos noticiários e redes sociais! Filhos matando os pais e vice-versa, bandidos à solta nas ruas e no Congresso Nacional (nossa maior expressão da democracia), policiais intimidados diante das “entidades” que defendem os “direitos humanos”, vândalos atacando propriedade alheia, traficantes, marginais e mafiosos corrompendo policiais, políticos, servidores públicos e uns governantes débeis, ineptos, inaptos e adeptos ferrenhos do mais puro e odioso fisiologismo.

Governantes que “jogam para as massas”, que atuam para a “mídia”, que estão preocupados apenas e simplesmente com o continuísmo de suas falcatruas, diante da certeza da impunidade, com um Judiciário absolutamente “engessado” pela legislação que dimana de um Congresso já carcomido pela corrupção. Com uma polícia trôpega, intimidada, receosa de cumprir seu dever e, ela sim, “ser presa”, ser repreendida pelos seus superiores. Que coisa é essa de atear fogo em veículos, invadir agências, lojas, residências, laboratórios que, ao longo de décadas, trabalharam buscando a cura de doenças?! Que onda “ambientalista” é essa que dá razão e milhares de hectares de terras aos índios que jamais produziram, e jamais produzirão, um pote de grão para saciar a fome de uma sociedade que se agiganta?! Vão me chamar de reacionário, mas tudo bem! Embora eu discorde, aceitarei a pecha! E já que as críticas virão mesmo, que venham com uma farta motivação! Isso é DEMOCRACIA, gente?! Então me desculpem, mas o Brasil está precisando, com urgência, de um CHOQUE DE AUSTERIDADE e AUTORIDADE que, infelizmente, não tenho divisado nos últimos 28 anos...

Sobre o autor

Dr. Jesuíno Barbosa Júnior

Dr. Jesuíno Barbosa Júnior

Especialista em Direito Público – 1991/1992 - Pós-graduação em DIREITO PÚBLICO, com Especialização em Direito Constitucional, Direito Administrativo...


Comentários  

0 # Walter Rodrigues 20-05-2014 21:22
Oportuno e extraordinário texto, vivenciei também, a época comentada e que deu azo ao pródigo raciocínio fértil do colega. Entendo e, convalido todas suas afirmações insertas no texto e, tenho também, uma enorme preocupação com o caminho que está sendo trilhado pelo que se diz, pelos quatro cantos do País que estamos em um regime democrata. Democracia como sistema de governo, não é isso que estamos presenciando, é sim: um sistema de governo que prima pelo civismo, respeito, moral e, sobretudo retidão dos governantes e dos governados. Nosso Pais precisa urgentemente rever seus conceitos de Nação, dando exemplos e, impor a população normas de um País democrata e, exigir uma postura correta aos governados. Assim penso e, com certeza, acreditando no possível, teremos um futuro melhor para nós e nossos filhos. Um fraternal abraço colega Dr. Jesuíno e, mais uma vez, meus aplausos e meus cumprimentos pelo belíssimo texto.
adv. Walter Rodrigues.
OAB (GO) 16.512
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar